FAQ

As suas perguntas respondidas

Os combustíveis fósseis não são o problema?

Fossil fuels are a major part of the problem, but not the only cause of global warming and the environmental crisis. Animal agriculture is a leading contributor of carbon dioxide, methane and nitrous oxide emissions, and a leading cause of severe environmental degradation, biodiversity loss, pollution, ocean acidification, species extinction, water waste and many other pressing issues.

Temos de abordar ambas as questões simultaneamente se quisermos evitar os piores impactos das alterações climáticas. Segundo o revisor especializado do IPCC Peter Carter do Instituto de Emergência Climática, precisamos de fazer tudo e temos de o fazer agora.

Para apoiar os esforços contra os combustíveis fósseis, por favor subscreva o Tratado sobre os Combustíveis Fósseis.

Porque é que precisamos de um tratado? Não temos já o Acordo de Paris?

O Acordo de Paris trata essencialmente de negociar quanto espaço resta na atmosfera para o carbono antes de atingirmos os 1,5 graus Celsius de aquecimento, mas não se concentra na produção. É silencioso sobre a agricultura animal e não tem capacidade ou ferramentas para parar e inverter a sua expansão inabalável. Também ignora outras fronteiras planetárias, tais como poluição da água, acidificação do solo e dos oceanos, zonas mortas dos oceanos, desflorestação e extinção de espécies que são todas elas grandes ameaças para o futuro do nosso planeta. Por exemplo, a criação de galinhas é uma das principais causas da acidificação dos solos.

Como é que vai aplicar um Tratado de Base Vegetal?

A primeira etapa é a construção de uma coligação global. Começa-se com pessoas, grupos, empresas e cidades que apelam a mudanças, até que esta pressão aumente a nível nacional. Isso conduzirá a acordos globais sobre soluções baseadas em plantas. Em última análise, a aplicação virá a nível nacional, ou através de acordos bilaterais e comerciais.

Como posso apoiar o movimento para um Tratado de Base Vegetal?

Faça-o seu! O tratado é para todos. Antes de mais, subscrever o tratado e comprometer-se a ajudar a recolher as assinaturas. Depois visite o nosso centro de campanha, onde estamos a produzir o maior número possível de recursos para que possa assumir isto e adicioná-lo às suas campanhas.

Quer seja um estudante, ou um empregado em campanha por uma cantina vegana, um político a votar contra os subsídios à agricultura animal, ou um activista em frente de um bulldozer a tentar impedir uma floresta a ser desbravada para alimentação animal, pode estar a apelar ao seu governo para que apoie o Tratado de Base Vegetal. Se nos unirmos no nosso apelo à acção, as nossas vozes são mais altas e têm um impacto maior.

Este tratado não está demasiado adiantado em relação ao seu tempo?

O Tratado de Base Vegetal reflecte a urgência que enfrentamos e vai ajudar a moldar a conversa. A nossa abordagem é baseada na ciência, confiando nos avisos científicos das Nações Unidas, na ruptura de fronteiras, e no relatório do IPCC sobre a forma como nos estamos a aproximar dos pontos de ruptura mais rapidamente do que se pensava anteriormente.

Estamos aqui para falar a verdade sobre as soluções necessárias nesta década para evitar a crise climática, não há realmente tempo a perder.

Porque é que existem tantas exigências?

Na procura um, que exige não agravar o problema, temos de olhar para todo o ciclo de produção, quer se trate de fazendas de animais, matadouros, bem como de desflorestação para fazendas e ração animal à base de soja e milho.

Na procura dois, promovendo a plantação, temos de olhar para todos os instrumentos educacionais, de política económica e legislativos disponíveis.

Na procura três, relativamente à restauração, precisamos de plantar árvores para retirar o carbono da atmosfera, mas também precisamos de restaurar turfeiras e re-selar os oceanos.

What about 'regenerative' grazing?

The Oxford University Grazed and Confused report shows, cows fed on grass release more greenhouse gas emissions than they are able to offset through soil carbon sequestration. This means that animals reared on grass are net contributors to greenhouse gas emissions and a key driver of the climate crisis.
Lead author of the study, Dr Tara Garnett says rearing grass-fed cows “is in no way a climate solution. Rising animal production and consumption, whatever the farming system and animal type, is causing damaging greenhouse gas release and contributing to changes in land use.”

Este relatório conclui que o gado de pasto não oferece uma solução significativa para as alterações climáticas e o carbono só poderia ser sequestrado em condições muito específicas e mesmo assim o carbono sequestrado é "pequeno, limitado no tempo, reversível e substancialmente compensado pelas emissões de gases com efeito de estufa que estes animais de pasto geram".