Seleccionar Página

2023 Comunicados de imprensa

 

Activistas do clima montam um camião de comida vegana gratuita em frente à Conferência do Clima de Bona para exigir uma restauração 100% vegetal

Os activistas do Tratado à Base de Plantas oferecem aos delegados do clima cachorros quentes vegan saborosos e gratuitos e distribuem o documento de posição "21 Cidades apelam a um Tratado Mundial à Base de Plantas"

Contactos para os meios de comunicação social:
Bona: Lisette Weustenenk, camião de comida: +31 6 55 51 66 15
Bona: Tim Werner, activista científico: +49 163 2011174
Global: Anita Krajnc, coordenadora da campanha global, +141 6825 6080, [email protected]

Ficheiros de imprensa:

https://drive.google.com/drive/folders/1j53Ys3jzHME3An-2HzbdEg86dT1G_HKg?usp=sharing

Camião de comida para pensar:
Quando: 9, 10 e 12 de Junho de 2023 entre as 11h e as 17h (CET)
Onde: World Conference Center Bonn (à direita da entrada), Platz d. Vereinten Nationen 2, 53113 Bonn, Alemanha

Documento de posição: 21 Cidades apelam a um Tratado Mundial à Base de Plantas

Evento paralelo:
Quando: 12 de Junho de 2023 às 11h45 (CET)
Onde: Sala Kaminzimmer, Centro Mundial de Conferências, Conferência do Clima de Bona:
Título: Contabilizar o impacto da agricultura industrial no nosso clima
Participe online: https://www.youtube.com/watch?v=d2CBlhrTNK8

Petição:

https://www.drove.com/campaign/6479e2413aa1f55325db3378

    1 de Junho de 2023 - Os activistas do clima estacionaram um camião de comida à entrada do Centro Mundial de Conferências na Alemanha, pelo segundo ano consecutivo, com planos para distribuir 2000 cachorros-quentes veganos gratuitos para mostrar aos delegados da Conferência do Clima de Bona que a transição para um sistema alimentar à base de plantas é essencial para fazer face ao aumento das emissões de gases com efeito de estufa relacionadas com a alimentação.

    Lea Goodett, activista do Tratado à Base de Plantas, dos Países Baixos, afirma "Criámos o camião vegan Food for Thought como uma forma de envolver o público e os decisores sobre dietas sustentáveis à base de plantas. Os alimentos à base de plantas não só têm a menor pegada ambiental e climática, como também oferecem pratos familiares que são muito saborosos".

    Uma equipa da Humane Society International que participou na conferência de Bona revelou que estão a ser abatidos mais animais terrestres do que nunca. Estima-se que 92,2 mil milhões de animais terrestres e entre 1-3 triliões de animais marinhos são mortos pelo sistema alimentar todos os anos, de acordo com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura.

    Para acompanhar os cachorros-quentes veganos, o Plant Based Treaty, que obteve o estatuto de observador da ONU, distribuiu mais de 100 cópias do seu recém-lançado documento de posição, 21 Cities call for a global Plant Based Treatyaos delegados da conferência sobre o clima. O documento de posição apela a cortes imediatos, rápidos e sustentados nas emissões de gases com efeito de estufa, tanto dos combustíveis fósseis como da agricultura animal, a fim de evitar um colapso climático catastrófico. Anita Krajnc, coordenadora da campanha global do Plant Based Treaty, afirma: "O documento de posição mostra por que razão os delegados da Conferência de Bona e da COP28 no Dubai, em Dezembro próximo, devem colocar as emissões alimentares na ordem do dia. Enquanto 21 cidades, incluindo Los Angeles e Edimburgo, endossaram o Tratado à Base de Plantas, nós também pedimos aos líderes mundiais que defendam um acordo global sobre uma transição desesperadamente necessária para um sistema alimentar à base de plantas".

    O sistema alimentar é responsável por um terço das emissões de gases com efeito de estufa e rebentaria com o orçamento do carbono mesmo que se acabasse imediatamente com os combustíveis fósseis. O documento cita o Relatório de Avaliação do Metano da ONU de 2021 que atribui 32% das emissões de metano causadas pelo homem à agricultura animal, a maior fonte. A investigação Joseph Poore, da Universidade de Oxford, concluiu que 83% das terras agrícolas são utilizadas para a criação de animais, mas fornecem apenas 18% das calorias. Os dados científicos de um estudo da Lancet mostram que um sistema alimentar à base de plantas reduzirá as emissões de gases com efeito de estufa dos alimentos em cerca de 80% e libertaria mais de 3 mil milhões de hectares de terra para a biodiversidade e a libertação de carbono.

    Lisette Weustenenk, activista do Plant Based Treaty Nederlands, afirma: "Sentimo-nos encorajados por ver que a Conferência de Bona acrescentou este ano opções vegan nas cafetarias. A nossa petição do Plant Based Treaty apela a que a COP28 e todas as conferências ambientais se concentrem nas soluções e nas melhores práticas, em vez de agravarem a emergência climática, pelo que gostaríamos de ver a Conferência de Bona sobre o Clima comprometer-se com uma restauração 100% vegetal".

    Na segunda-feira, 12 de junho de 2023, às 11h45 CET, o Plant Based Treaty se juntará à World Animal Protection, Brighter Green, Sinergia Animal e Global Forest Coalition para um evento paralelo: Contando o impacto da agricultura industrial em nosso clima.

    Antecedentes

    O Tratado à Base de Plantas tem 3Rs e 39 propostas pormenorizadas que apela a uma transição global para um sistema alimentar à base de plantas e apela à negociação de um tratado global, bem como à implementação local a nível municipal, escolas, universidades, hospitais, empresas e outras instituições locais.

    O Tratado à Base de Plantas tem como modelo o Tratado de Não Proliferação de Combustíveis Fósseis e é inspirado em tratados que abordaram as ameaças de destruição da camada de ozono e de armas nucleares. Desde o seu lançamento em Agosto de 2021, a iniciativa foi apoiada por 21 cidades, incluindo a Edimburgo, capital da Escócia, Los Angeles e Ahmedabad e recebeu o apoio de 100 000 apoiantes individuais, 5 laureados com o Prémio Nobel, cientistas do IPCC, Sir Paul, Mary e Stella McCartney, mais de 3000 ONG, grupos comunitários e empresas, incluindo Oceanic Preservation Society e capítulos do Greenpeace, Friends of the Earth e Extinction Rebellion.